sábado, fevereiro 28, 2009

Erros, dúvidas e testes



Nos últimos tres dias passei mal em dois. Há necessidade de correçoes de rumo. Primeiro é entender o que está acontecendo. Eu passo mal a noite, na hora do jantar. Minhas refeiçoes diárias começam pela manhã, uma vitamina incrementada por 30g de whey, geralmente com leite, uma fruta e um cereal. Banana, aveia ou gérmen de trigo. Isso por volta das 7h da manhã. O centrum entra em jogo aí. Entre 9 e 10h um sucão de mamão com chá branco enriquecido com soja e colágeno.

O almoço em casa é um sopão pedaçudo, estilo cassoulez cassete, descrito anteriormente, na rua uns 200 g de legumes e um bom pedaço de peixe, ou um escondidinho de camarão num buffet desses da vida. Por volta de 15 ou 16h rola outro sucão de mamão envenenado como o dito ai acima, ou um copo de iogurte destes light com fruta. Aí eu vou jantar as 19h-20h e depois antes de dormir uma vitamina com whey.

Enfim, vou tentar comer mais frutas secas nos intervalos e ficar atento nos horários, o q pode estar errado é o intervalo maior de jejum antes do jantar. Tenho quase 3 meses de operado, o sinistro nesta fase é q tudo parece bem, até está, mas não tem consolidação, ficar sem comer pode implicar em atrofias, estenoses e sei lá mais o q. É hora de treinar o estomaguinho.

Enfim, vamos ver o q vem por aí.

quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Praticidades 2



Ontem foi uma quarta-feira de cinzas de um carnaval tranquilo. Subi a serra no sábado com meu pai e ficamos em Teresópolis até terça, andando pela cidade e arredores sem muito propósito, estar num lugar sem propósito é uma benção.

Ontem assisti ao filme do Darren Aranofsky, com um Mickey Rourke bizarro no papel principal. O LUTADOR mostra a vida de Ram (Randy) um lutador de luta livre decadente, vivendo agora ainda nos anos 80. Ram é um cinquentão detonado e decadente, meio ignorante, legal mas egoista e teimoso. White trash, uma metáfora do american way of life. Quem perder não está com nada.

Ontem cheguei do cinema e fui terminar as compras q iniciei pela manhã. Pela manhà havia ido cedo no HortiFruti, cada vez mais me convenço de q posso viver com o q vende ali. Legumes, frutas, folhagens, tudo fresco e com cheiro bom. É bom ir na hora q os caras estão começando o dia, colocando novas mercadorias, batata baroa, agrião, goiabas. Eles tabme vendem cereais e grãos, feijão azuki, gérmen de trigo, farelo de aveia. Temperos. Na volta do cinema fui num super mercado comum, comprei pasta de dente branqueadora, cheirinho de casa, pote plástico e duas bandeijolas de salmão com 200 e poucos gramas cada uma. Cheguei em casa e preparei uma delas, comi metade vendo o segundo tempo do jogo q o Botafogo venceu do Fluminense por um a zero. O peixe acamou e desceu redondo. Aí cometi o pecado de comer a outra metade.

Acabei, ainda vi o jornal da TV Majoritária e o salmão se recompos e tomou vida dentro do estomaguinho. A correnteza apertou, lá fora o pessoal comemorava a vitória do Salgueiro após 16 anos de jejum. Eu devia ter feito isso ou segurado a minha onda. Enfim, o peixe voltou ao mar antes do meu processamento completo, vomitei por conta de olho gde.

Definitivamente a comida tem de ser funcional majoritariamente, olho gde agora tem punição imediata, e o lance é ter prazer em todo o resto.

To feliz com o q eu aprendi e com o dia q tive.

quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Nostalgia


Uma melancolia legal é essa tal de nostalgia. A gente sente saudades de parentes que se foram, de lugares que estivemos. Casas que moramos, comidas que comemos. É um banzo delocalizado no espaço-tempo, coisa que com o que sabemos de Física hj em dia não volta mais. A nostalgia implica em ficarmos tentando resgatar aquilo que se foi. As vezes mais por medo do agora e do amanhã, do que propriamente em respeito ao que partiu.

Pq nào tentamos este resgate concomitantemente com a vida q se apresenta agora? Eu as vezes reclamo do correcorre urbano, da impessoalidade das relações cotidianas, mas qtas vezes dei bom dia a um estranho? E qtas vezes respondi a um bom dia de quem eu desconheço? Sem desconfiar de nada, de esquema ou armaçào?

Gordo se amarra em lembrar das cocadas da baiana dos doces da rua Ernesto de Souza, do arroz mineiro da vovó. Do frango de padaria da Leopoldo. Lembranças q justifiquem cerimonia diante de pratos, de replays, refils e superlotação de pratos no self service. Pois, bem algumas coisas se justificam, outras não.

Comida em cidade grande é linha de produção, e por mais sazon que tenha, não tem amor, nem carinho, nem o respeito q uma avó tinha ao preparar aquele prato nos anos 80. A mesa, vc esta cercado de desconhecidos, ninguém ali sabe seu nome. Quer lembrar de alguém que te amou, de momentos de famíla, pq não escutar uma música?

Eu lembro de comidas de minha mãe, de minha avó várias, mas livros, músicas, cores e outros gostos? Muito pouco, em minha defesa posso chamar a pouca idade que tinha nas despedidas de minha mãe e de minhas avós, mas é incrível como poderia elencar aqui cardapios para duas semanas de comidas que elas me serviram, que justificaram até a bem pouco tempo recarregar este ou aquele prato em self services da vida. Ao faze-lo estava mais desrespeitando q propriamente celebrando meus antepassados, reduzindo-os a um prato que sequer fora feito em minha casa.

Comer em self service é uma mentira, a comida nunca é caseira, é no maximo da casa.

A Gorjeta de 10% é por conta do freguês.

domingo, fevereiro 22, 2009

Murruga


Outro dia estava em um hotline via MSN. Do outro lado havia um desconhecido, pedindo ajuda sobre procedimentos da Cirurgia a qual passei recentemente.

Lembrei de mim quando a tempos atrás tbém fui atrás de orientações, encontrando no meio do caminho um parceiro de treinos de outrora, o Murruga, ele tbém passou pelo procedimento e cazzo, o cara virou outra pessoa. Enfim, perguntei a ele e de cara ele me disse que não tinha muito o q dizer, q era uma coisa pessoal. Insisti e ele seguiu dizendo q a operação é punk, mas q tudo passa e fica a essencia. Ele ainda me olhou comIMC 57 e disse q eu realmente tinha as indicações para operar, q acreditasse no caminho proposto pelo médico. Mais não disse. Se mandou de volta a vida dele.

Voltei ao hotline e aceitei o papo. O cara começou dizendo q estava com IMC 40, 1.79m de altura. Eu respondi q operei com IMC 52, mas q havia chegado aos 57. Do outro lado a interjeição PQP entre o espanto e o escárnio. Toquei o barco, mas era caso de mandar o cara ao corpo de ballet do Municipal fazer trave com a Ana Botafogo. Cazzo porco é porco, uns viram bacon, outros linguiça, mas no fim é tudo porco. Vào se espantar com o diabo que os carreguem.

Ainda no hotline, o cara dizia q já havia se consultado com 3 cirurgiões, queria saber das vantagens e desvantagens da operação aberta e por vídeo, do índice de morbidade de cada técnica,de cada médico, da anestesia.

Alguns problemas q ele havia encontrado eram q o plan cobria o médico, mas nào a clinica. Estaria aí um bom critério, o primeiro par médico-clínica com cobertura full encabeçaria a lista.

Disse com quem e onde operei, e mais não falei, pois mais não sabia. Operei aberta, pois saber se o ônibus tem 6 marchas não me interessa na Rodoviária. Quero saber de chegar no meu destino. Na estrada eu posso morrer, assim como numa mesa de operação. Lógico q não gostaria de ver o motorista tocado a rebite com pitú, mas ja peguei carona com pilotos bebados. Hj eu não faço isso.

Meu Pai q é quem eu mais amo no mundo precisasse de uma operação, a grande opinião a ser ouvida seria do Dr. Jamel.

Pros sequelados que não captam sutilezas de um texto rombudo como o meu o lance do piloto bebado é hard case, nada a ver com meu médico.

Voltando ao hotline: perguntas sobre dor no pós-operatório, normais. sobre consultas e exames:nso primeiros 6 meses todo mes, depois a saber, mas normalmente espaçam progressivamente. Sobre os demais profissionais envolvidos: Nutricionista, Clínico e Psicólogo. As churumelas monetárias de sempre, que é duro, o plano de saúde é da empresa. Lá pelas tantas do outro lado veio a confissão de q fuma-se 3 maços de filtro amarelo flip-box. pedi meu boné e comecei a retirada da conversa.

Enfim, acho interessante vc se cercar de conhecimento, pesquisar afinal isso é o q nos afasta dos macacos de puro instinto: o conhecimento. Mas qdo a nóia te engessa ela te atrapalha. O drive tem de ser de vida, de seguir adiante. Definido o q se quer, queime-se a etapa e não volte a ela. Acho q este papinho ajuda a procastinação, e procastinar é uma atitude obesa.

Ah sim, e vc pode perguntar pro seu médico qtas pessoas ja morreram com ele. E sinceramente, preocupante é qdo ele está abaixo da casuística numa técnica de 2 a 5% de morbidade, a coisa ta amadurecendo e vc pode ser o sorteado. Eu poderia.

Ah sim, o hotline ta suspenso, nào tenho vocação de Irmã Paula.

Grande Murruga, sem perguntar mais voltei a aprender com vc. Obrigado!

sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Retorno


Ninguém dorme com um peso normal e acorda no dia seguinte com 40, 50 Kg a mais.

Esse meio tempo tem um tempo largo no meio, sempre insuficiente para o alarme soar.

Por outro lado tem gente com alarme soando o tempo todo, com medo de engordar ate por excessos respiratórios. Acho q o gordo operado pode mudar do relaxamento a paranóia extrema. Ou seja continuar doente. Sim, doente, compulsivo e extremista.

O jeito que eu vejo para administrar este comportamento é mudar o sistema operacional, para algo realmente multi tarefa. Diluir a compulsividade em outras atividades, de preferencia coisas que diversifiquem e agreguem valor a uma vida mais plena. Leituras, exercícios, resgate e estabelecimento de amizade, crescimento pessoal, espiritual e econômico, aprender as novas regras de ortografia, sei lá.

Sair de casa,de dentro da própria cabeça, começar coisas novas, aprender outro idioma. Contemplar um por do sol. Beber um suco diferente. Experimentar outras posições no próprio mundo. Experimentar novos sabores. Com cuidado, mas sem pavores ou preconceitos

É difícil, as vezes entre o desconforto e o medo. A euforia e o desbunde. Tem que manter uma sobriedade, sem deslumbramentos.

Manter a cabeça no lugar, sabendo que uma coisa feita para o próprio umbigo é importante, apenas para si próprio, sem gdes pompas ou motivo de orgulho. Nada que interessa a auto-estima muda o mundo. Mante-la no azul é pessoal e intransferível.

Nào é uma coisa simples, exige atenção a detalhes e movimentos bruscos. Algo como investigar diferentes sabores de água mineral e cores impressionistas. Quer moleza morde sopa.

Equilíbrio em fio de navalha. Cabeça raspada e atenção.

quinta-feira, fevereiro 19, 2009

Cassoulez Cacete


Aí vai uma receitinha pedaçuda:

Uma xícara de feijão branco
2 inhames
1/4 de repolho pequeno
1 cenoura
3 cebolas pequenas
alho, pimenta calabresa, salsa (desidratados)
1 colher de chá de açafrão
1 pedaço de gengibre
2 envelopes de tempero legumes
2 folhas de louro

Tudo na cloquinha com um litro dágua, coloque o inhame na segunda fervida. Fica verde e amarelo, com o ideal de ser denso e pedaçudo. Louro e gengibre não são para comer, mas dào um calor da gota serena.

Síndrome do Pica pau


Eu fiquei um empo sem conseguir fechar um post decente pra colocar aqui, como se me importasse com quem possa estar lendo o que eu escrevo. Descobri que me importo.

Tenho varios rascunhos incompletos e dei uma encroada nas conclusões. Resolvi dar uma olhada em foruns de comunidades gastro no orkut, vejo boas questões colocadas, mas quase sempre as questões são pouco aprofundadas. Uma bem legal é o lance da autoimagem. Ou seja como ogordo se vê antes, durante e depois do processo de desmanche.

O lance da banha é não linear, anarmonico. Corpos obesos são uma forma de corpo individualizado, já disse anteriormente a gordura quebra os padrões: há os barrigudos, os gordos avental, peróides, maçãs, oblatos, prolatos e outras formas. Assim tbém é no gordo que desinfla. O corpo vai murchando de diferentes maneiras, quase sempre derrete aquilo que se tem mais, mas o emagrecimento começa a ser efetivo nos detalhes. Pés e mãos.

Eu ainda tenho bronca de minhas mãos, mas meus pés estão menores. Eu comprei um tenis 46 ano passado, hj uso 44. Meus pés já apresentam nervuras e estão numa boa. Minhas mãos ainda nào estão no ponto, mas não parecem mais mãos de bebe gigante. Nada masculino uma mão fofinha. Quero voltar a pegar ferro e enche-las de calos e cicatrizes. Fico feliz qdo caminho e desce suor pelos meus dedos.

Eu vejo gente reclamando q nào se reconhece mais, estabelece pesos limites altos como meta, enfim reclamam por perder muito ou pouco. Pensei naquilo que eu quero, sinceramente espero aproveitar ao máximo o percurso. Quero perder o máximo q puder e não quero me reconhecer dent ro de alguns meses. Gostaria muito de nào precisar de plásticas no fim de tudo, apesar de saber que desta vez eu fui muito além das possibilidades de regeneração do meu corpo. Farei o q for possível para evitar novas cirurgias. Meu objetivo é chegar num estilo Mastim, feioso, cheio de dobras, forte e babão... algo ameaçador admito.

Não sofro de síndrome do pica pau, aquele desenho que repete sempre os episodios e a gente sempre se diverte, pq sabe o q vem segundo a segundo. To mais afim de administrar o inesperado, do imponderável pq o q se repetia em meu estado corpóreo sempre foi o mesmo, idas e vindas de roupas, gdes emagrecimentos e engordamentos maiores ainda. Tenho q conseguir perder e chegar abaixo dos 100 Kg, coisa q não sei o q é desde os 18 anos. Parei com isso.

Quem viver verá...

sexta-feira, fevereiro 13, 2009

A Barriga e a Baleia


Ontem fui num programa de TV sobre barriga. Programa jovem, com interatividade via Internet, uma bela apresentadora com um rapper e seu DJ fazendo o meio de campo. Na bancada, além de mim, uma produtora de moda, uma nutricionista e um cirurgião plástico. A conversa obviamente girou em torno de nutrição e cirurgia plástica. A barriga definitivamente virou uma causa estética. A pança agride a vista, atrapalha no amor, dá uma imagem ruim no trabalho. Estraga o fim de semana na praia. Ela é resultado de excessos calóricos, pouca atividade física, desmazelo. Ela é ápice de uma espiral crescente de auto estima decrescente.

O programa seguiu em termos de ação positiva, alto astral e simpatia com flavorizantes, acidulantes e sabor artificial de laranja. O lance da barriga vai muito além da estética, mas em uma hora guiada pelo senso comum o apelo é para o visual e a prevenção.

Felizmente, a interlocução foi comedida e muito correta. Há muita respoansabilidade de profissionais médicos em comentar e orientar problemas de saúde na mãe da comunicação de massas. E a barriga, assim como o umbigo é pessoal e intransferível, cada caso é um caso e deve ser estudada por quem sabe, individualmente.

Contudo barriga de baleia continua sendo uma questão de aritmética básica, um balanço de calorias ingeridas e gastas, no final do dia a pança é superavit de ingesta, a costela déficit. Nào tem mágica o dual exercícios e dieta equilibrada sào necessários, pena não serem suficientes para casos severos, em desequilibrados como eu a cabeça entra quebrando a linearidade desta equação e por consequencia, implicando em soluçoes mais complexas q apenas este dual.

Para a baleia com questões para além da barriga, um novo modelo de vida é o caminho.

quarta-feira, fevereiro 11, 2009

O simulacro e o sonho


Tem um comercial de mortadela que mostra o amanhecer de uma família, paizão mandando um sanduba, uma mãe gostosa suspirando em volta do maridão q só tem olhos pro acepipe. A casa pega fogo e todos estão ligados no sanduba, ate o momento q termina o objeto de comilança. Aí todos se ligam nas chamas ao redor, inclusive o bombeiro q já estava ali há algum tempo desejando uma 20 do sanduíche.

Esse é o Graal da industria alimentícia: uma comida que seja barata para produzir e escravizante para aqueles que a engula, fazendo que estas criaturas prefiram perecer no fogo a parar de come-la. O embutido é gde candidato a este posto. Cheio de flavorizantes, acidulantes, conservantes e outras tantas artimanhas da engenharia de alimentos é um simulacro de iguaria. Para muitos o alimento é viciante, é fácil escutar mães dizendo que seu filho só come isso ou aquilo, algumas comidas são drogas traficadas livremente por doces Senhoras e outros administradores do lar.

Açúcares, arroz parboilizado, farinhas e conservas: são igualmente tratados para dar um prazer barato as papilas gustativas. Somos enganados por uma engenharia alimentícia top de linha. Com o argumento de alimentar milhões, a química dos alimentos é cada vez mais afinada com demandas de prazer e produção. Como fugir disso?

Acho q a primeira coisa é assumir que um lanche é "coisa do Demo" mesmo. Hamburguer, batatas fritas, refrigerantes e sorvetes são viciantes mesmo. Mas ao contrário da primeira garfada eu não preciso disso pra viver, posso passar sem isso tranquilamente. Só não posso voltar a comer. Pizzas e coisas de padaria também. Tào fora do meu cardápio. E tenho dito...

Tá com fome come fruta. Tá com sede beba da água ou suco. Refeição não é lanche.

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Fatalismos


Tem um ditado gringo que define as grandes certezas da vida: Death and Taxes, Morte e Impostos. Acho que o segundo ainda dá pra burlar, a morte apesar do butox não rola de enganar. Todo mundo morre. O que dá pra negociar é prazo e talvez algum conforto.

Morrer com mais de 200 Kg é morrer sem herdeiros e amigos para carregarem o caixão, sim, pq com exceção de body builders não há muque que leve um caixão de 200 Kg. Num esquife com 6 alças, dá mais de 33 Kg por alça. Nem adianta pensar em cremação, pq gordo explode.

Bem, se terminar é estímulo. Enfermidades e hiatos também são. Imagina um gordo com a coluna pinçada. A menos que se descole um carvalhão ele vai ficar esquecido no chão de sua casa. Enfim, estas são as fatalidades que ajudam. Quais são as que não servem pra nada? Todas aquelas baseadas nas crendices de quem já operou.

Sempre vai ter gente pra te dar conselhos, um a cada dez deveriam ser ouvidos, um em cada cinquenta seguidos. Tem que ter cuidado por estar emagrecendo demais ou de menos, vc deve comer, mas não isso ou aquilo. Suplementos? sim, mas este não! Qto tempo de operado? Vc tá bem, hein? Cuidado com a hérnia! Vc tem que comer isso ou aquilo. Esqueça tudo isso.

Ouça apenas a quem vc paga consultas! Pq? Simples, ele é o guia da via. Em uma montanha todos os caminhos te levam ao topo, mas o caminho que interessa é aquele que vc faz. A equipe médica é a responsável pelo traslado do chão ao topo e neste momento, não é momento de questionar métodos, até pq se algo não for bem existir deve parametros a serem discutidos no tratamento. Se vc não faz o q o medico manda, como saber o q vai mal?

O gde obeso, o avarento, o dependente químico tem a compulsão como intersecção. senão vejamos os 4 primeiros dos 12 passos do AA (os parenteses são meus):

PRIMEIRO PASSO:
Admitimos que éramos impotentes perante o álcool (COMIDA, DINHEIRO, CONSUMO, SEXO...) - que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.
SEGUNDO PASSO:
Viemos a acreditar que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos à sanidade. (Esse poder superior pode ser um ex-obeso de sucesso, se há casuística de sucesso é possível)
TERCEIRO PASSO:
Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que O concebíamos. (esse deus pode ser Buda, ou o Deus de Spinoza, ou mesmo a equipe médica, a técnica em si...)
QUARTO PASSO:
Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos.(Esse é o mais duro!)

Existem mais 8 passos, no link acima é facil continuar uma reflexão que traga luz nesta comparação. O método funciona, mas não pode ser usado plenamente no caso de um obeso mórbido, já que a primeira garfada é inevitável, comida é essencial. Comer o essencial é a chave deste sucesso. Complicado? Sim, não teria como ser fácil não. A operaçào ajuda nesta guerra por um novo comportamento diante das refeições.

Contra lendas e crendices, conhecimento e poder de correlacionar problemas e soluções. Atenção aos detalhes é importante. Pensar e refletir necessidades básicas.


----------------------------------------------------------------
OS DOZE PASSOS - Forma Integral: consultar o Livro: "OS DOZE PASSOS E AS DOZE TRADIÇÕES" Disponível na JUNAAB - Junta de Serviços Gerais de A.A. do Brasil. Avenida Senador Queiroz, 101 2 andar cj 205 Caixa Postal 580 - CEP 01060-970 S‹o Paulo/SP - Brasil

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Frescuras


Nesse momento existem várias coisas me incomodando, coisas que vejo como obstáculos mesmo. Pra falar de uma escolhi a principal: a frescura. Sempre fui toscão, ou vai ou racha. Agora até blog eu to fazendo, pior atualizando e tudo. Receitinhas de sopa, exposiçãoo de sentimentos, falando até de minhas cueconas com badalhoca.

Além disso, me sinto enjoado, tenho cagaço de comer na rua e tenho entojo de muita gente mastigando a minha volta. Outro dia me peguei pensando em comer uma Quiche, a merda de uma empada sem tampa, ainda pensei em comer de colher pra comer só o recheio. Quiche o cazzo!

Tenho feito a barba todo dia, comprado bons sabonetes, pensado em perfumes e géis pós barba. Gostei de raspar a cabeça economizo em shampoo mas gasto este monte de geleca. Não que eu fosse um porco antes, mas era banho com um sabonete,desodorante e vamos pra guerra.

Tenho olhado armações de óculos, pensado em coisas acessórias. Porra, tenho escutado PLACEBO!

Assim que meu médico me der alta quero ir num antro de rock suburbano e sair de lá fedendo de suor, chegar em casa e dormir no chão.

No dia seguinte eu volto pras minhas receitas de sopa e tudo certo.

Praticidades


Algumas mudanças que vieram para o bem. Não usar óleos e gorduras no preparo de alimentos facilitam em muito lavagem, uso de detergentes em louças e utensílios. Custo pessoal e menos poluição. Como quase tudo que faço é cozido, queimar panelas é coisa de narcoléptico. Atenção ao preparo e fogo brando garantem isso também.

Como o eixo da minha alimentação se modificou para vegetais e grãos, posso ter tranquilidade em compras e estoques. Legumes e raízes com cascas seguram a onda muito bem na geladeira. Feijões e temperos desidratados na despensa, shoyu e outras orientalidades são a prova de terremoto. A limpeza da geladeira também muda, sem carnes e coisas congeladas, tudo fica mais tranquilo e sem odores estranhos. O que estraga mais rapidamente, são folhagens e a abóbora, tem q usar em 3, 4 dias no maximo.

Faço tudo numa clockinha de 3 litros, o preparo é rápido e prático. Clockinha é uma panela de pressão pequena.

Uma outra coisa é o vínculo diário com a ingesta de complexo vitamínico, eu descobri uma caixinha de comprimidos, dividida por dias de semana. É prestar atenção um dia por semana, para encher os buracos e tomar o comprimidão em algum momento das 24h do dia. Cuidar de si é primordial e intransferível, mas essa caixinha ajuda. Deixo em cima da geladeira e está tudo certo. Essa caixinha custou 2 reais, tm umas mais frescas até com alarmes.

Eu suplemento proteínas em uma vitamina de manhà e outra antes de dormir. Nenhum problema com estes pós, desde q batidos com mixer, leite e alguma fruta de sacolão. Uso shakes dietéticos, sempre substituindo uma refeição grande. Chá verde tem sido o mata larica, comprei um pote de Chá verde com soja e colágeno, desce com água gelada.

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Felicidade Amorosa do Giga


Além do polegar opositor e do megaencéfalo superior, o homem se diferencia dos bichos por buscar coisas intangíveis como essa tal felicidade (e para admirar Jorge Furtado e celebrar os 20 anos de Ilha das Flores). O Gigabanha tbem busca a felicidade. Ele pode ser feliz? Claro que sim, todo mundo pode, ate pq a felicidade é um metaestado instável. Vc olha pra ela, quase toca, pisca e ela vai um pouco mais adiante, outras ela se pirulita para alhures. E demora a aparecer novamente.

Além disso, a felicidade tem diferentes tamanhos, formas e matizes. Normalmente qdo ela aparece nunca é plena. Se ela é gde, a cor não agrada e a forma não é anatomica. Outras vezes tudo é perfeito, mas o tamanho é de amostra grátis. As vezes de tão bom parece pegadinha. E aí ela se manda. A felicidade sabe qdo perde o elan e se escafede por excesso de simancol. Outras vezes a gente que detona tudo mesmo. A felicidade é um estado emaranhado de confiança em si próprio e no entorno, próximo e distante.

Ao Gigabanha aí reside o problema amoroso. É complicado a beça ter esta confiança emaranhada funcionando plenamente. Qdo ele está com outra pessoa envolvido amorosamente a primeira gde barreira a vencer é a pessoal. Ok, a figura é linda, te ama... Como pode ser possível isso? Tem algo errado aí! Ferrou a felicidade decai e se esvai rapidamente.

Vamos dizer q esta parte está ok. O Giga e sua gata estão na boa. Vão pegar um cineminha. Olhares acusadores, risos perturbadores o Giga e sua camisa começam a suar. O sinal vermelho explode na hora de comprar pipoca, Coitada da menina tão linda com aquele Bola 7! E qdo ela te dá uma camisa? Ou é comprada em loja especial e vc pode ate já ter uma igual, ou ela é apertada, apesar de ser a maior da CeA.

Chega o verão é hora de pico de saídas em grupo. De dia uma praia, à noite barzinho sei lá. Só arapucas. A praia se o giga vai, é um corajoso de bermudão (vamos lá um Giga de sunguinha é caso de interdição!). Normalmente vai ficar na água ou enchendo o pote no quiosque. Qdo se agrega novamente, se sente um merda por conta de todo mundo estar rindo dele e seu modelito. Sua namorada de olho nos carinhas. Já era novamente. Mais tarde no barzinho as malditas cadeiras de plástico alimentam suas nóias.

Enfim, resistencia de materiais, escalas e tamanhos complicam a mente do Giga. Sem pensar em termos comuns do jogo amoroso. Sogras, famílias, talaricos e tantas outras armadilhas.

As vezes essas nóias enchem tanto q é melhor ficar fora do jogo, encher o pandú e inflar. Taí uma espiral inflacionária, o banha sobe de categoria e de Giga vira Tera e depois morre ou se tranca em casa tentando bater recorde e virar um PetaBanha!

Bom dia!

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Psicologismos e Simbolismos


O lance de se enclausurar num cocoon de banha é uma autodefesa. Quase um lugar comum, sempre falam isso de gente obesa. Outro papo é o de que o estomago cheio é quase um carinho de Mãe, um le retorno a tenra infancia, onde apos um choro a teta materna jorrava leite quente e abundante pro bucho do infante. Podem ser duas verdades, mas caramba, tem muito tempo já não?

Prefiro ver esta perda de peso como uma maquina do tempo, roupas antigas voltando ao meu corpo, limpando o sangue de toxinas, pele melhor. A possibilidade real de flertar e voltar a pensar em paixões, olhar mulheres na rua sem espantar ninguem. Passar ate mesmo desapercebido na multidão. Isso é uma volta a um passado legal.

Dentro deste retorno, busquei apoio certo: meu pai. Estamos conversando mais, nos falando mais. Isso é reconfortante para os dois.

Eu vejo um jogo de poker de cacife alto nesse momento tbem. Apostei alto pra ganhar alto, não se trata portanto de parar ou diminuir, é hora de dobrar, fazer cara de nada, eu tenho jogo, e gente me dando suporte. To confiante de q chego esse ano na minha meta, tenho trabalhado pra isso, me cuidado e sim quero muito eliminar o cidadão que teima em se agarrar as minhas costas.

Outra boa imagem é a da melancia, já perdi tres...outras 6 devem ir para o saco.

Boa Tarde!

terça-feira, fevereiro 03, 2009

Urbanóide


Hj eu resolvi ir na Vita a pé. A Vita é uma farmácia que tem preços realmente competitivos. Resolvi ir a pé, ela fica na Pça da Bandeira e eu moro Perto da Quadra do Salgueiro, no Deep Tijuca ou Low Andaraí, antiga região da Aldeia Campista, bairro q morreu pq lançamento imobiliário vende melhor na Tijuca.

Resolvi ver como estou de resistencia, saí de casa hidratado e só iria beber novamente qdo avistasse a farmácia. O itinerário era o inverso dos busões, desci a Br de Mesquita, até a Pça Saens Pena, Cde de Bonfim, Heitor Beltrão e Joào Paulo II ate a rua do Matoso. Cheguei bem na farmácia, comprei uma agua e detonei ali mesmo. Comprei mais uma lata de Resource Protein 240g (quase 63 reais).

Na volta entrei no busão e encarei a inimiga, roleta de onibus. Tranquilo, passei sem preparar nem currar a passagem, pq gordo tem q ter tecnicas pra passar nos períodos rotundos. Eu sempre usei mezzo vácuo mezzo curra. Limpa os bolsos (ja quebrei um MP3 no bolso passando em roleta de onibus), respiro fundo, me seguro onde der e vum! Passo deixando as estruturas empenadas. desta vez num fiz nada disso e fui de bolsos cheios. Tranquilo!

Depois disso, nada poderia melhorar, onibus cheio, um velhote me sarrou as batatas da perna, suspensão de cabrito, um calor senegalês. Desci na Pça Saens Pena. De lá voltei a pé pra casa.

To bebendo minha agua e to maneiro. Daqui a pouco mando uma bananinha pra ficar legal.

Aventuras urbanas no subs...dão saudades de Teresópolis e de Oberá!

PS: dei uma deitadinha e dormi quase 4 horas, pernas doloridas...mas numa boa! Hora de imprimir um ritmo.... dormi as 21h e acordei, 1h do dia seguinte...canelite da boa...to velho, gasto e desbotado....o lance é dar uma tingida, uma meia sola e bola pra frente. Banana Salva!

domingo, fevereiro 01, 2009

Coisas que fazem falta!


Pois fazem parte da intersecção de duas vidas:

Capuccino
Café
Chá Preto
Chimarrão

Cafeína me faz muita falta!

TopBlog 2013

Gente que vai, gente que vem

Partizan FK do Andaraí

Partizan FK do Andaraí
Meu time de botão.

Pedra da Gávea 2011

Pedra da Gávea 2011
27.03.2011 powered by TRJ

Contadores do Obesity Help

Caminhando em 2010

Caminhando em 2010
Morro dos Cabritos - 9.01.2010

Flag Counter

free counters

Grutas em Maricá

Grutas em Maricá
20.01.2010

Alto Mourão - Parque Nacional da Tiririca - Niterói/RJ

Alto Mourão - Parque Nacional da Tiririca - Niterói/RJ
31.01.2010 - Alto Mourão - Niterói/RJ

Armadilhas Orais

Margarinas, biscoitos, salgadinhos, sorvetes: esses alimentos são ricos em gordura hidrogenada, portanto, aumentam o colesterol ruim e diminuem o bom colesterol (que protege as artérias). Pele de aves, bacon, toucinho, gordura aparente das carnes: esses queridinhos do paladar masculino são ricos em gordura animal. Por isso, aumentam o colesterol e podem prejudicar a saúde cardiovascular. Café ou chá preto em excesso: pensa que só porque está colocando adoçante tudo está salvo? Essas bebidas contêm cafeína, que podem, em altas doses, favorecer o aumento da pressão arterial e dificultar o sono, além de provocar dor de cabeça em indivíduos sensíveis. Temperos prontos: esse ingrediente contém glutamato monossódico e conservantes que, se consumidos habitualmente, podem sobrecarregar a função hepática. Açúcar simples e doces: eles aumentam a glicemia e podem, no futuro, alterar a ação da insulina e serem uma das causas de síndrome metabólica (conjunto de doenças que aumentam as chances de doenças cardiovasculares). Alimentos industrializados e conservas: esses alimentos ou petiscos podem aumentar a pressão arterial, além de outros males à saúde, dependendo da opção, pois são muito gordurosos. Embutidos: os embutidos (salsicha, linguiça, salame), além de serem muito salgados e gordurosos, contêm nitrato na sua composição e essa substância pode causar enxaqueca. Bebidas alcoólicas: ninguém está te proibindo de tomar um copinho ou outro de vez em quando. Mas o hábito sobrecarrega o fígado e pode prejudicar, inclusive, a função cerebral. Frituras: principalmente as que comemos na rua, como pastel, você deve deixar de lado. O óleo é reaquecido diversas vezes, podendo causar a oxidação da gordura, o que é prejudicial para a circulação sanguínea. Isso não significa que em casa está liberado. Evite! Refrigerantes: essas bebidas, mesmo as que não têm açúcar, não são uma boa opção. Eles possuem muitos conservantes, corantes, estabilizantes (e alguns, também, adoçantes). Essas substâncias sobrecarregam o fígado para que sejam eliminadas. Além disso, alguns possuem cafeína também.

Diga não a NanoFobia

Diga não a NanoFobia
Adote um anão

Carnaval 2010 - São João Nepomuceno/MG

Carnaval 2010 - São João Nepomuceno/MG
Cachoeira da Fumaça - São João Nepomuceno/ MG - Carnaval - 12-16/02/2010

Parque Estadual da Pedra Branca - Jacarepaguá - RJ/RJ

Parque Estadual da Pedra Branca - Jacarepaguá  - RJ/RJ
Travessia Pau da Fome/ Camorim - 1/05/2010

Peito do Pombo - Barra do Sana - Macaé/RJ

Peito do Pombo - Barra do Sana - Macaé/RJ
Powered by Trilhas RJ - 15 e 16 de maio de 2010

Travessia Tijuca X Jacarepaguá

Travessia Tijuca X Jacarepaguá
Powered by Trilhas RJ - 8.8.2010

Blog do FutMesa Dadinho do Mecão

Dicas para uma dieta bacana

Comer bem não significa viver à base de produtos light e diet. Uma alimentação saudável contém mais produtos naturais e menos industrializados. Deve ter mais variedade e menos quantidade.

- Ficar muito tempo em jejum trava o metabolismo. Sem energia, o organismo passa a poupá-la. Alimentar-se a cada três ou quatro horas (cinco a seis refeições ao dia) é essencial para ter disposição e saúde e também para emagrecer.

- Começar o dia tomando café e se alimentando com carboidratos (como pães e frutas) é uma opção inteligente porque esse nutriente é fonte de glicose e energia. O cérebro só se abastece de glicose.

- Ao meio-dia, é estratégico comer proteína (carnes). Devido às suas propriedades nutricionais, o alimento evita a sensação de sonolência após o almoço. À noite, ao contrário do que pregam muitas dietas radicais, os carboidratos são opção porque estimulam os hormônios do sono e do bem-estar.

- Preparar-se para fazer lanches entre as refeições é simples. Não é motivo de vergonha levar um sanduíche com pão integral ao trabalho. "Na hora da fome ninguém pensa e, sem nenhum alimento saudável à vista, é mais fácil se render às guloseimas", diz Tatiana.

- A proteína do soro do leite (whey protein) pode ser introduzida sem medo na alimentação. É um produto industrializado, mas de alto valor biológico (150%) e de fácil digestão.

- Para conquistar uma vida saudável, combine alimentação equilibrada com a prática de exercícios físicos.


As dicas são da nutricionista Tatiana Ferraz, de São Paulo para o blog Missão de Peso

TwitPic

Blogs Chapa Quente